sábado, janeiro 5

Ar Puro

O ambiente nas Escolas está diferente. A entrada do ano trouxe ar limpo às instalações escolares que durante anos tiveram ambientes cheios de fumo, em salas criadas para o efeito ou nas salas de convívo dos funcionários. O cheiro circulava pelas zonas adjacentes. Finalmente o gesto de apagar o cigarro acabou! Urra,viva Sócrates. Durante muitos anos, os não fumadores mostraram-se sensíveis e tolerantes a esta prática lesiva da sua saúde, pelo que agora entendem que os seus colegas se sintam inconformados com esta nova realidade.
Aconteceu finalmente! As Escolas passam a ser efectivamente espaços sem fumo. Graças à entrada em vigor da lei do tabaco, passou a ser proibido fuma nos estabelecimentos de ensino.

Recomendo aos professores e funcionários fumadores que aprendam a reduzir o consumo de tabaco e avancem com aulas de "aprender a deixar de fumar".

1 comentário:

Maria Sabichona disse...

Olá, Chico!

Cá estou eu na visita semanal (sempre que possível) que faço ao teu blog. Já tinha passado os olhos por este artigo, mas hoje resolvi deixar uma palavrinha (ou duas... ou três... ou muitas, como de costume).
De facto, esta ainda é, para mim, a melhor notícia de 2008. Espero que outras tão boas estejam para vir. Na nossa escola, apesar de algumas caras assim um pouco contrariadas, parece que não se têm verificado situações constrangedoras. Como dizes e bem, nós compreendemos que esta mudança radical de hábitos cause transtornos e desagrado, algo que os fumadores passivos sentiam antes da chegada da lei.
Alguém sugeria, por graça talvez, que os sofás e assentos de cadeiras estofados fossem lavados, pois, dizia esse colega, os vestígios nocivos do tabaco permanecem lá. Permanecem mesmo após a passagem de um ciclone!
Mas pronto, já me contento com a ausência do fumo. Com o tempo tudo desaparecerá. O pior já passou.
Na próxima semana, quando tiveres oportunidade, mostro-te uma coisa. Nada de especial, apenas algo que te vai fazer sorrir.
Por agora é tudo.
Bom fim-de-semana.

P.S.- Quanto à conversa desta manhã, que ficou a meio, espero sincera e pessoalmente que as novas regras que nos impõem na nossa profissão nunca me (nos?) retirem o gosto de fazer as coisas e a vontade de acordar cedo para vir para a Escola, e a vontade de fazer coisas novas (ainda ontem fiz um pequeno lanche com os meus alunos do apoio: trouxe-lhes manteiga de amendoim, que nunca tinham provado, e tostas). Enfim, se um dia me disserem: "Olhe, a senhora não é competente para ser professora e vai ter só Suficiente na sua avaliação" ... bem, no mínimo, vou ficar muito... falta-me a palavra ... e acho que nunca a encontrarei...
Até breve, Chico.